Blog

Darkness

17 de junho de 2020

Darkness, conhecido em português como “negrito”, é um ajuste muito importante que pode influenciar na qualidade da impressão.

Quando se compra uma impressora para impressão de código de barras, identificações alfanuméricas, em todas elas, virão junto ao programa um “drive de impressão”.

Utilizando o caminho abaixo, podemos facilmente realizar essa alteração, vejamos:

 1º PASSO: Área da impressão;

2º PASSO: Selecionar a opção configurações;

3º PASSO: Selecionar a opção Darkness.

Para explicar a importância dessa configuração, é preciso entender que, ao comprar os insumos para certo tipo de impressora, os mesmos podem ser rolos de etiquetas de papel ou filme + ribbons.

A etiqueta de papel (Couchê, Termo-transfer, etc), pode utilizar o ribbon Cera ou o ribbon Misto (Cera/Resina). Nesses casos, o darkness será da seguinte forma: cada fabricante de impressora, com seus diferentes modelos, tem um total de darkness distintos – ou seja, 15, 20, 30. Por exemplo:

Etiqueta de papel com ribbon de cera ou misto: utiliza-se cerca de 50% do total de darkness da impressora comprada (se o total é 15, utiliza-se 8, e assim por diante. Se for um total de 30, é utilizado cerca de 15 de darkness – temperatura).

Etiqueta de filme com ribbon Misto: utiliza-se cerca de 70% do total de darkness indicado na impressora.

Etiqueta de filme com ribbon de Resina pura: utiliza-se cerca de 85% a 90%.

 

 

Por que isso ocorre?

Quando alteramos o darkness estamos aumentando ou diminuindo a temperatura da cabeça da impressora.

Caso tenha somente cera na formulação do ribbon, não é necessária uma alta temperatura para que a impressão ocorra no frontal da etiqueta de papel.

Quando utilizado o ribbon Misto (Cera/Resina), ou de Resina Pura, é necessário um aumento cada vez mais considerável da temperatura (darkness), para que sejam quebradas as moléculas de resina e, de fato, o ribbon penetre no frontal da etiqueta – esta, geralmente de filme, que não fica na superfície do mesmo.

Caso aconteça, descaracteriza-se pagar bem mais caro pelo ribbon, não atendendo a real aplicação que é para suportar – como por exemplo, altas ou baixas temperaturas, ranhuras ou fortes atritos, sol, chuva, salitre – e dificilmente mantendo a impressão na etiqueta.

Apesar de ter um passo a passo relativamente fácil é se suma importância atentar para esse aspecto. Falar sobre “Casos de Sucesso” é algo muito bom, mas vamos dar exemplos de casos de “insucessos”:

Um cliente comprou rolos de etiquetas de filme (aceita umidade, temperaturas baixas e altas, etc), que é muito mais caro do que rolos de etiquetas de papel. Mas a aplicação dele, devido à umidade, exigia tal determinado material. Porém, pensando estar economizando, o mesmo comprou o ribbon de cera, quando deveria ter comprado o ribbon de resina pura (muito mais caro, mas com custo-benefício bem mais barato, devido aplicação em umidade). Resultado: a impressão ficou boa, mas só de passar os dedos nela, mais ainda com a etiqueta umedecida ou com o dedo suado, já se perdia toda a impressão. A pergunta de sempre: o barato saiu muito caro, correto? 

Se você tem uma aplicação que exija temperaturas elevadas ou negativas, que fique no sol ou na chuva, que exija resistência, pensar em economizar é, na realidade, gastar. Jamais se permita esquecer de um dos fatores mais importantes: o custo-benefício.

 

Um outro dado, ou informação, que não podemos deixar passar é:

se você utiliza uma “caixa” (tamanho de letra ou número), muito pequena, não adianta elevar o seu “darkness”, pois a questão já é outro assunto, ou seja: “resolução” da impressora. Como assim?

 

– toda impressora para impressão de código de barras vendida no Brasil já vem de fábrica com 203 DPIs de resolução, mas, repito, se você tem uma determinada medida de etiqueta, que devido o espaço a ser aplicado não permite que ela seja aumentada em seu tamanho, e sendo impresso na mesma um número enorme de caracteres (letras, números), você precisa diminuí-los bastante e na hora de imprimir mal se consegue ler devido as falhas que ficam. Você vai e aumenta, cada vez mais, o darkness e percebe que ao invés de ficar legível, ficou borrado, ou seja, solução.:

 

– comprar uma impressora e requerer que a mesma venha com 300 DPIs, pois assim você terá uma resolução maior, não vai precisar ficar aumentando o darkness e, com isso, diminuir a vida útil da cabeça de impressão e, o mais importante, sua impressão ficará linda, legível. Impressoras com 300 DPIs são mais caras, mas sempre estará lendo de nós o seguinte.: “Custo-Benefício” ou “o barato sai caro”.

JR Barcode, várias possibilidades com uma etiqueta.

Até breve.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *