Blog

Etiquetas, o que você precisa saber.

14 de dezembro de 2018

 

Muitos pensam em etiquetas como algo muito simples, que se compra em uma papelaria, escreve-se algo na frente dela e cola-se em determinado objeto ou superfície. Sim, até existem as simples etiquetas das papelarias.

Quando damos início à implantação de rastreabilidade por códigos de barras, informações de lotes, validades, identificações, informações nutricionais, entre outros, começamos a perceber que a simplicidade tem outro nome.:

Etiquetas por termo-transferência ou térmicas, com a aquisição de impressoras específicas (Zebras, Datamax, Argox, Elgin, Bematech, Intermec, GDX, entre outras).

Podemos dizer que as etiquetas são como um “sanduíche”, composta por 3 camadas diferentes, conforme mostra a foto abaixo:

O frontal é a parte que vai ser impressa as informações como o código de barras, o adesivo que é onde fica a cola do material e temos o liner que é como se fosse um papel manteiga que a etiqueta fica colada, como também pode ser em um filme pet, pois há situações que até o liner precisa ser muito resistente e até, totalmente, transparente.

Entendemos que cada local de aplicação tem um tipo de superfície, podendo ser: – Lisa;

– Porosa;

– Siliconada;

– ou mesmo, por assim dizer, com verdadeiros buracos (madeira bruta ou compensado, pedra bruta), entre outros.

A partir do real conhecimento de onde deve ser aplicada esta etiqueta, vamos discorrendo sobre o tipo de material (ou frontal), adesivo, ou até o caso de uma etiqueta não adesiva, entendendo que pode ser em Papel ou Filme.

Não havendo umidade, podemos falar em papel, que tem um menor custo, porém, uma durabilidade, e também resistência, menores.

No caso do frontal em filme, se tem a garantia de uma maior durabilidade e também resistência, quando o custo é bem maior, mas vale considerar algum muito importante que é o “custo-benefício”. Lembra do ditado.: “o barato sai caro”?

No caso das Etiquetas Não Adesivas, também conhecidas como Tag’s, podemos citar algumas aplicações para melhor explica-las, ou seja.:

 

  1. Para pendurar em peças de roupas;
  2. Colocar nas gôndolas de supermercados ou lojas em geral, impresso ali códigos de barras e preços;
  3. Identificar diferentes produtos ou objetos que não permitam ter uma etiqueta colada, mas pendurada, seja ela com uma pequena resistência ou com uma enorme resistência, podendo ser em papel cartão de diferentes gramaturas ou com gramaturas altas, além de filmes contra colados para dar a tal, enorme, resistência à rasgos e coisas do tipo.

 

Situações que requeiram detalhes mais específicos cabem uma visita técnica, quando realizar a mesma será um imenso prazer, seja por mim ou por algum Representante Técnico JR Barcode.

Maiores dúvidas, por gentileza, fale conosco.

Não se esqueça.: JR BARCODE, “várias possibilidades com uma etiqueta”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *